Começando o Dia

De segunda a sexta-feira, das 8 às 9 horas Apresentação: Alexandre Machado

Palácio do Fim estreia em São Paulo

Vera Holtz fala sobre o drama iraquiano, dirigido por José Wilker , que conta com Camila Morgado e Antônio Petrin, no elenco

Espetáculos & Cia

20/01/12 10:44 - Atualizado em 20/01/12 10:44

Baseada em três histórias reais, Palácio do Fim estreia nesta sexta (20) no SESC Consolação, com direção de José Wilker e no elenco Camila Morgado, Antônio Petrin e Vera Holtz. Em entrevista ao "Começando o Dia", a atriz Vera Holtz fala sobre a expectativa da estreia na capital paulista.

Escrita pela dramaturga canadense Judith Thompson, a partir de relatos reais, a peça mostra três visões particulares sobre o drama iraquiano. O espetáculo descreve a forma pela qual três vidas, mesmo em lados opostos de um conflito, podem ser modificadas e conectadas pela barbárie.

Palácio do Fim, referência à antiga sede da câmara de tortura de Saddam Hussein (1937-2006), leva o público a observar como, nas mais diferentes culturas, a irracionalidade traça sempre o caminho da dor. No primeiro conto, Minhas Pirâmides, Camila Morgado interpreta Lynndie England, oficial do exército americano, grávida do ex-namorado e acusada na corte marcial pelo abuso de prisioneiros em Abu Ghraib. Fotografada torturando prisioneiros, ela reflete sobre as fortes imagens que expuseram ao mundo as grotescas técnicas de tortura que arquitetou ― presos sendo puxados por coleiras e amontoados nus em pirâmides.

Em Colinas de Horrowdown, segunda história, Antonio Petrin vive o Dr. David Kelly, inspetor de armas britânico que contou à BBC que não havia armas de destruição em massa no Iraque. Foi atacado e humilhado pelo governo britânico. O angustiado cientista, então, se prepara para a morte tendo como cenário um bucólico bosque perto de sua casa, na Inglaterra. Suas últimas horas são dedicadas a um discurso de redenção em que revela as circunstâncias pelas quais apresentou falsas premissas para a guerra.

No último monólogo, Instrumentos de Angústia, Vera Holtz é Nehrjas Al Saffarh, ativista iraquina membro do Partido Comunista, morta num bombardeio durante a guerra do Golfo, em 1993. É depois de morta que ela recorda como sobreviveu à polícia secreta de Saddam Hussein e aos horrores aos quais foi submetida no Palácio do Fim. 

O espetáculo Palácio do Fim estreia, nesta sexta (20), no Teatro Anchieta do SESC Consolação (Rua Dr. Vila Nova, 245) e fica em cartaz até 11 de março, sextas e sábados, às 21 horas e domingos, às 18 horas. Os ingressos custam R$32,00 inteira, R$16,00 meia e R$8,00 comerciários.

O cmais+ é o portal de conteúdo da Cultura e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.

Comentários

Compartilhar